terça-feira, 31 de janeiro de 2012

1º Fórum Mundial da Bicicleta em Porto Alegre


Foi divulgada a grade de programação provisória do 1º Fórum Mundial da Bicicleta, que ocorrerá em Porto Alegre, de 23 a 26 de fevereiro. A programação inclui pedaladas, oficinas, painéis de palestras e debates e eventos de confraternização. 

O 1º Fórum Mundial da Bicicleta terá a presença do ativista norte - americano Chris Carlsson, que em 1992 convidou amigos para pedalar em São Francisco, no passeio que marcaria o início da Massa Crítica no mundo. Carlsson participa, junto com o diretor geral da Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo (Ciclocidade), Thiago Benicchio, do painel sobre o “cicloativismo como agente de mudança para cidades mais humanas”. A iniciativa partiu da reunião de moradores de Porto Alegre que utilizam a bicicleta para a prática do esporte, transporte urbano, lazer, bem como empresários do setor de comércio e serviços.

A programação provisória do evento, disponível no site, traz ainda outros quatro painéis, sobre o papel da bicicleta na mobilidade urbana, a bicicleta como agente de incremento econômico, a bicicleta na promoção do turismo, e ciclismo de competição. Entre outros palestrantes já confirmados, estão o bicampeão mundial de ciclismo paraolímpico, Soelito Gohr, e o empresário e cicloativista catarinense Eldon Jung.


Cidades mais humanas

A data para o Fórum Mundial da Bicicleta foi escolhida em virtude do aniversário de um ano do atropelamento intencional que ocorreu contra os participantes da Massa Crítica de Porto Alegre, em 25 de fevereiro de 2011, que gerou manifestações de solidariedade em diversas cidades do mundo e vem fomentado a discussão sobre a violência no trânsito. Em 25/02, sábado, está programado um ato por cidades mais humanas na Rua José do Patrocínio, na Cidade Baixa, mesmo local em que ocorreu o atropelamento.


Eventos paralelos

Com inscrições abertas para oficinas autogestionadas, o Fórum também trará temas como Cycle Chic, ciclismo veicular, transporte de cargas por bicicleta, mecânica básica de bicicletas, comunicação não-violenta, cicloturismo, a atleta de ciclismo, ciberativismo, a bicicleta no ponto de vista jurídico, entre outros, somando até agora mais de 20 oficinas inscritas.

Passeios especiais também estão previstos nos dias do fórum: um bike city tour na quinta-feira, 23/02, passando pelos principais pontos turísticos de Porto Alegre, e um passeio dominical reunindo os conhecedores das bicicletas reclinadas e demais ciclistas. E em 24/02, o Fórum se junta à Massa Crítica, na bicicletada tradicional da última sexta-feira do mês, com concentração a partir das 18h15 no Largo Zumbi dos Palmares.



Postado por: Guiné no http://www.pedal.com.br 23/01/2012

Zen-Budismo na Paraíba: Como foi a reunião do dia 29?

Zen-Budismo na Paraíba: Como foi a reunião do dia 29?:

Relato dos praticantes leigos da Paraíba que estão cosntruindo uma Sanga bem pé no chão.

Bacana ver estes projetos desenvolvendo desde o início.

Tivemos ontem uma ótima reunião na Praça da Paz, nos Bancários. Além da presença costumeira de alguns (Dália, Félix, Eder e Sebastião) ho...

O Pico da Montanha é onde estão os meus pés.: Impulsos

O Pico da Montanha é onde estão os meus pés.: Impulsos:


Em uma aula de iniciantes em zazen, Florianópolis alguém pergunta– De onde vêm os agregados que compõem a nossa existência? E qual a diferença entre a...

Comendo bem, comendo menos




Algumas pessoas se refugiam na comida para compensar as tristezas e a depressão. Comer demais pode criar dificuldades para o aparelho digestivo, contribuindo para o surgimento da raiva. Também pode gerar um excesso de energia que se transforma na energia da raiva, do sexo e da violência, se não soubermos lidar com ela.

Quando comemos bem, comemos menos.

Precisamos apenas da metade dos alimentos que ingerimos diariamente.

Para comer bem, devemos mastigar a comida por cerca de cinqüenta vezes antes de engolir. 

Quando comemos bem devagar e transformamos o alimento que está na nossa boca numa pasta líquida, absorvemos muito mais os elementos nutritivos através do intestino.

Comer é uma prática profunda. Quando como, aproveito cada porção da minha comida. Tenho consciência da comida, consciência do que estou comendo. Podemos praticar o comer consciente – saber o que estamos o que estamos mastigando. Mastigar a comida com muito cuidado e alegria. [...] Quando comemos conscientemente, não estamos ingerindo ou mastigando nossa raiva, ansiedade ou projetos. Estamos mastigando a comida que outras pessoas prepararam com amor, e isso, além de ser extremamente agradável, no faz muito bem.

[...]Quando o alimento se torna líquido, misturado com saliva, ele já está semidigerido, e quando chega ao estômago e ao intestino, a digestão se torna extremamente fácil. Quando você come dessa maneira, ingere naturalmente uma quantidade menor de alimentos.

Muitos de nós em Plum Village – nosso centro de prática na França – experimentamos essa maneira de comer e mastigar conscientemente, bem devagar. Tente comer desse modo. Vai ajudar seu corpo a se sentir muito melhor, o que será excelente para seu espírito e sua consciência.

[...] Se você conseguir comer dessa maneira, comprará menos alimentos e assim poderá comprar alimentos cultivados organicamente, que são mais caros, incentivando os agricultores que fizeram a opção de cultivá-los.

Thich Nhat Hanh, Aprendendo a lidar com a Raiva, Sabedoria para a Paz Interior, Editora Sextante, Rio de Janeiro, 2003.
pensandozen.blogspot.com

domingo, 29 de janeiro de 2012


A meditação pode ser tão poderosa quanto o medicamento para insônia.





por Ruth Buczynski, PhD



Imagine um país onde não se depende mais de medicamentos para ajudar a controlar a depressão, dor crônica, ou insônia.

Ultimamente, tenho visto uma tendência em estudos que estão mostrando como a meditação é tão eficaz como medicamento, mas sem efeito colateral.

Este último estudo, conduzido por Cynthia Gross, PhD e seus colegas da Faculdade de Farmácia da Universidade de Minnesota, encontrou indícios de que a meditação pode ser tão poderosa quanto o medicamento Lunesta de prescrição para insônia.

Este estudo randomizado e controlado foi conduzido na Universidade de Minnesota, no centro de saúde onde 30 adultos com diagnóstico de insônia, foram divididos em dois grupos. 20 participantes foram iniciados no curso de formação em Meditação de Plena Atenção durante 8 semanas (meditação baseada na redução do stress), e 10 participantes foram colocados em um regime diário de 3mg de eszopiclone (Lunesta).

O pessoal do curso de Meditação de Plena Atenção tinha uma sessão de uma hora 2,5 por semana durante oito semanas, um retiro de dia inteiro, e foram fornecidos trabalhos de casa, organizados para ajudá-los a manter o foco em suas práticas de atenção plena.

A qualidade do sono dos participantes foi medida usando o Índice de Gravidade da Insônia, o Pittsburgh Sleep Quality Index, e diários de sono. Estes testes foram realizados antes e após as primeiras oito semanas e novamente três meses após o estudo.

Os resultados mostram que a atenção plena e a medicação antes de dormir tiveram resultados comparáveis em várias medidas - tempo total de sono, quanto tempo levou para que os participantes adormecessem, e eficiência do sono (porcentagem de tempo gasto adormecido em relação ao tempo total na cama).

De fato, após 8 semanas de treinamento, o grupo da Meditação de Plena Atenção adormeceu mais rapidamente do que o grupo de medicação, e isso ainda era comprovado no terceiro mês. Além do mais, alguma das melhorias na qualidade do sono continuou a aumentar com o tempo.

Quanto mais nós mostramos o valor da consciência plena, pessoas mais dispostas podem optar por esta alternativa da meditação, já que não tem um esmagador custo a saúde e os encargos dos medicamentos.

(Atenção: isto NÃO significa que as pessoas devem parar de tomar a medicação, já que o seu médico de confiança deve sempre ser consultado antes de alterar regimes de medicação).

Tradução livre do original aqui.

“Espiritualidade Inclusiva – a aceitação da comunidade LGBT pelas religiões no Brasil” no Fórum Social Temático


Paulo Stekel
“Espiritualidade Inclusiva – a aceitação da comunidade LGBT pelas religiões no Brasil”, foi a palestra proferida hoje, 25 de janeiro na Usina do Gasômetro, em Porto Alegre pelo professor, jornalista e músico Paulo Stekel (foto)

Esta foi a primeira palestra pública do Movimento Espiritualidade Inclusiva, e integrou parte das atividades autogestionárias do Fórum Social Temático (FST), que se realizará entre 24 e 29 de Janeiro em quatro cidades da região metropolitana da capital gaúcha – Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo e Novo Hamburgo.



A proposta é trabalhar a visão inclusiva da espiritualidade – aquela que considera os direitos religiosos da comunidade LGBT como um fator de inclusão e justiça social na sociedade brasileira, buscando inserir os gays e todos aqueles que expressam a diversidade de orientação sexual numa religiosidade sem o preconceito fundamentalista que se tem observado em nosso país.



Quem quiser conhecer melhor o movimento, acesse o blogue Espiritualidade Inclusiva, que congrega textos de várias tradições espirituais e sua visão sobre a natureza homossexual, e também relatos do público presente sobre suas experiências religiosas.

sábado, 28 de janeiro de 2012

O Combate do Darma


Qual o Significado de Hossenshiki ~ A Cerimônia de Combate do Darma !


Novembro 27, 2008. Publicado por 
hossenshiki13


Um dos momentos mais marcantes do treinamento de um monge da tradição Soto Zen é a Cerimônia de Combate do Darma (Hossenshiki ). Em alguns lugares esta cerimônia é realizada no início de seu período de treinamento como Shuso (líder dos noviços) e, em outros lugares, é realizado no final do mesmo período.
É a grande cerimônia pública do “unsui” (monge-em-treinamento), pois a Cerimônia de Transmissão do Darma – que, futuramente, finalizará o seu treinamento formal – é uma cerimônia fechada, particular entre o aluno e seu professor de transmissão (Honshi). 

A Cerimônia de Combate do Darma é uma cerimônia enérgica e dramática, que pode exigir meses de preparação. Até hoje, fico emocionada quando me lembro da minha , em 2003, no mosteiro feminino em Nagoya, Japão. Foi muito forte.

Mas o que significa esta cerimônia? Em primeiro lugar, representa o final da fase do treinamento como “noviço” (jôza) e a transição para o período de treinamento como “monge-aprendiz” (zagen). Corresponde aproximadamente à formatura do seminário de um futuro presbítero (padre) católico. Não são todos os monges-noviços que recebem o convite de ser shuso – nem todos passam para a etapa seguinte. Nem todos se formam no seminário… Geralmente, porém, quem passa pela Cerimônia de Combate do Darma, recebe a Transmissão do Darma, cedo ou tarde…

Geralmente, representa um reconhecimento público do aluno ter aprendido os aspectos “técnicos” básicos – cerimonial e procedimentos de nossa tradição – e significa o aval do professor de que o aluno tenha alcançado um certo nível de compreensão do Darma, mesmo que essa talvez não seja uma compreensão “profunda” ainda… Alguns professores, porém, nomeiam o shuso por antiguidade. Assim sendo, pode haver variações de acordo com a linhagem.

Nesta cerimônia, o shuso, após a recitação do Sutra do Grande Coração da Compaixão, faz – em bom e alto som – a recitação de um caso do Shôyôroku. Em seguida, recebe do Professor de Treinamento (Hôdôshi), o “shippei”, que simboliza a “espada que tira e dá a vida”. Depois de uma fala de abertura, no qual o shuso “desafia” os presentes a questiona-lo, inicia-se um “mondo” (perguntas e respostas sobre o Darma), durante o qual os outros noviços testam a compreensão do Darma do shuso. Este questionamento pode ser feito de uma forma “formal” e memorizada, usando “casos” históricos – neste caso, o Combate do Darma acontecerá num nível sutil, “energético”. Outras vezes, este questionamento pode ser feito de uma forma “espontânea”, sem que o shuso saiba, de antemão, o teor das perguntas que terá que responder.

Como havia duas americanas em treinamento no meu mosteiro na época do meu próprio Combate do Darma, pude ter uma experiência com o questionamento “formal” decorado, em japonês clássico, e o questionamento espontâneo, na minha língua materna, o inglês. Vejo grande valor nos dois sistemas. Aqui no Ocidente, vi cerimônias de “combate do darma” que mais pareciam simples “bate-papos agradáveis” e espero que possamos manter a tradição do “combate”. Acho importante que a “energia” de “combate do darma” seja mantida, pois acredito que pode ser valiosa no desenvolvimento do monge-em-treinamento.

Terminado os questionamentos, o shuso devolve o “shippei” e faz uma fala final que encerra o Combate propriamente dito. A Cerimônia é finalizada com as declamações de poemas de congratulações por parte dos presentes e... fotos.

shushentrance03
Como parte deste cerimonial, no dia anterior à Cerimônia, há uma Palestra do Darma. O atendente do professor (“jisha”) leva um “sambo” (suporte cerimonial) com uma cópia do “Shôyôroku” (“Livro da Serenidade”) até o professor para que este inicie uma Palestra do Darma. Neste momento, o professor formalmente convida o aluno a dar a palestra no seu lugar e o “sambo” é levado até o Shuso, que fará a palestra. No meu caso, porém, não foi possível eu dar qualquer palestra, pois não falava Japonês suficientemente bem. Assim sendo, a Aoyama Roshi deu esta palestra “no meu lugar”. Guardo, com muito carinho, uma foto mostrando eu, depois de receber o “sambo”, o entregando a Aoyama Roshi. Ela, vendo as minhas anotações (a minha “cola”) em “romaji” (letra ocidental), sorriu – e eu sorri de volta – num momento de carinho e cumplicidade… Agradeço este (entre tantos outros) gesto de compaixão desta grande Roshi, a minha Professora de Treinamento (“Hôdôshi”).
Para este cerimonial (a Palestra de Darma e Hossenshiki), o Shuso veste uma faixa branca na parte superior de seu Kesa (manto de Buda) e na parte interior das mangas de seu “koromo”.

Terminado o seu período como noviço-líder (shuso), ainda é um monge-em-treinamento (“unsui” – nuvem-água) mas já é um “sempai”, um veterano, apto a começar o seu treinamento de liderança, inicialmente orientando os noviços e, futuramente, possivelmente, passando a liderar grupos de prática, sob a supervisão de seu professor.

O seu registro como monge-em-treinamento (“unsui”) na Escola Soto Zen (Soto Shu), que tinha um prazo de validade de 10 anos até então, passa a ser um registro definitivo (ainda como monge-em-treinamento) no final do período de treinamento monástico, e, geralmente, corresponde aproximadamente ao término da fase de shuso.

O “unsui” ainda está no meio do caminho de seu treinamento. É um “sempai”, um veterano, mas ainda usa o Kesa preto de monge-em-treinamento…

. Assistir parte de uma cerimônia de Combate do Darma no Japão (em japonês – mesmo assim dá para entender muita coisa do espírito e energia da cerimônia)

. Assistir ao vídeo da Cerimônia de Hossenshiki de Monge Genshô, realizada no dia 17 de outubro de 2008, em Florianópolis:

. Parte 1:


. Assistir ao parte 2

. Ver fotos da minha cerimônia de Hossenshiki, no Mosteiro Feminino em Nagóia, Japão, no ano 2003.

o Zen e Steve Jobs 2

Esteja Aqui e Agora...:



"Muitos não sabem mas Steve Jobs estudou o zen budismo durante alguns anos com o monge Kobun Chino Otogawa e utilizou como inspiração para o design e estética dos produtos Apple.

Motivado por essa informação o jornalista Caleb Melby em parceria com a Forbes e a produtora JESS3 criou uma história em quadrinhos de 80 páginas – a The Zen Of Steve Jobs em produção desde a primavera de 2011. Com a morte de Jobs o projeto tornou-se ainda mais significativo, sendo finalizado em Dezembro e já disponível em livrarias incluindo making off e capas alternativas."

'via Blog this'

Força mãe.

Gente, uma pausa nos "papos cabeça".

Os íntimos sabem que minha mãe esta enfrentando um câncer fud...do de sério.

Hoje quando eu medito ponho a saúde dela como um ponto de foco.

Foco que no momento de minha prática uma parte de mim esta lá com ela lutando contra os fdp das células cancerígenas.

Hoje compartilharam esta HQ...


Muito obrigado.

Mesmo.

A Batalha by @fabiocoala - Monstro


O trabalho é do Fábio Luiz Cavalcanti - O Coala. Artista Gráfico formado em Publicidade e Propaganda de São Paulo.

www.mentirinhas.com.br

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Folha.com - Cotidiano - Cartunista vai à Justiça para ter direito de usar banheiro feminino - 27/01/2012

Folha.com - Cotidiano - Cartunista vai à Justiça para ter direito de usar banheiro feminino - 27/01/2012:

Sou um fã de carterinha do trabalho deste cara. De uns anos para cá ele passou a travestir-se de mulher no seu cotidiano... diariamente, mesmo... não é showzinho nem nada.

Mas agora a coisa pirou mesmo. Será que ele tem "direito" de usar banheiro de mulher???

Ele é um "gênio". Um artista. E um travesti. Mas é homem.

Não estará tirando o direito das mulheres de privarem-se do olhar masculino no banheiro?

Estou confuso.


Laerte: (...) Os homossexuais também acham estranho que um travesti não seja necessariamente homossexual. O crossdressing é uma designação completamente social, uma convenção de um preconceito. 

(Em entrevista ao portal iG - Foto: Augusto Gomes, iG São Paulo)






'via Blog this'

Meditação

Este vídeo é Hinduísta, mas é muito bom...

Então, fora as diferenças culturais da prática Budista para a Hinduísta, é uma boa dica para curtir....

__/|\__



Transforme a sua vida - venha praticar conosco! Jisui Zendô - Comunidade Zendo Sul


Transforme a sua vida - venha praticar conosco!
Problema na visualização deste e-mail?
Ver esta mensagem no seu browser.
Sanga Águas da Compaixão
Jisui Zendô - Comunidade Zendo Sul

Programação das atividades deste próximo final de semana da Sanga Águas da Compaixão


Sábado, dia 28 janeiro 201216:30 hs - Prática Regular (aberto a todos)
17:00 hs - Mini-Zazenkai - aberto a todos, doação sugerida: R$ 20 (não-associados/não-cotistas)

Domingo, dia 29 janeiro 2012
14:00 hs - Baika (Música Budista) - aberto a todos, doação sugerida: R$ 10 (não-associados/não cotistas)
16:30 hs - Prática Regular, aberto a todos

A programação das atividades na casa-sede durante a semana encontra-se mais abaixo, antes da listagem da previsão da programação mensal.

Local: Jisui Zendô - casa-sede da Sanga Águas da Compaixão - R. Eliziário Goulart da Silva, 93 - Bairro Cristo Redentor (atrás do Hospital Cristo Redentor). Ver as mãos das ruas para chegar de carro no Google Maps.

Para os plantonistas da Sanga:
- A próxima aula do Costura Budista será no dia 4 de fevereiro.

Lembro a todos que a participação nas atividades pode ser integral ou parcial, pois os praticantes podem chegar e sair livremente, de acordo com as suas necessidades.

Sanga Energia Harmoniosa - recesso por prazo indeterminado devido a conflito de horários.
Sanga Aikikai - Zazen e Bate-papo nas 3as, às 18:30 hs. As atividades das 5as feiras estão em recesso até março, quando serão retomadas na casa-sede Jisui Zendô.

Nota: No caso das práticas da Sanga Aikikai, recomenda-se que estacionam os seus carros no estacionamento do Shopping Total ou no estacionamento pago que fica em frente da Aikikai.

Cuidem-se bem!
Gassho,
Isshin

Próximas Atividades Especiais:
1) 17 a 22 de fevereiro - Sangaku Sesshin (casa-sede Jisui Zendô, com pernoite)
2) 25 de março - CozinhaZen - Almoço  Beneficiente

Atividades Regulares durante a semana: 
2as feiras: descanso
3as feiras: 09:30 hs - Zazen e Leitura de Sutra (casa-sede, aberto a todos)
                19:00 hs - Zazen (Sanga Aikikai)
4as feiras: 19:30 hs - Introdução ao Zen (para iniciantes)
                20:00 hs - Zazen (casa-sede, aberta a todos)
5as feiras: 09:30 hs - Zazen, Serviço Matinal (casa-sede, aberto a todos)
                20:00 hs - em recesso (Zazen e Aula do Prof. Monteiro, casa-sede a partir de março)
6as feiras: 09:30 hs - Zazen, Serviço Matinal (casa-sede, aberto a todos)
                19:30 hs - Palestra para Iniciantes (casa-sede, aberta a todos)

Previsão Mensal:
1o. Sabado do mês, 14:00 hs - Fukudenkai (Costura Budista) - aberto a todos, doação sugerida: R$ 10 (não-associados/não cotistas)
1o. Sabado do mês, 18:00 hs - Palestra do Darma - O Zen na Prática - Monja Isshin - somente Membros-Praticantes
2o. Sabado do mês, 18:00 hs - ArteZen (com projetor tipo Datashow) (aberto a todos)
2o. Domingo do mês, 14:00 hs - Curso dos Preceitos, turma 2009 (grupo fechado)
3o. Sabado do mês, 18:00 hs, março a novembro - Palestra do Darma - A Prática Zen (Sutras Budistas: Sutra do Diamante, um dos sutras mais importantes na nossa tradição) - Professor Monteiro - aberto a todos - doação sugerida: R$ 20 não-associados/não-cotistas / R$ 10 associados/cotistas)
3o. Sabado do mês, 18:00 hs, dezembro a fevereiro - Palestra do Darma - O Zen na Prática - Monja Isshin - aberto a todos
4o. Sabado do mês impar, 17:00 hs - Mini-Zazenkai - aberto a todos, doação sugerida: R$ 20 (não-associados/não-cotistas)
4o. Sabado do mês par, 09:00 hs -  Zazenkai de Um Dia - aberto a todos, doação sugerida: R$ 50 (não-associados/não cotistas)/ R$ 30 (associados/cotistas)
4o. Domingo do mês, 14:00 hs - Baika (Música Budista) - aberto a todos, doação sugerida: R$ 10 (não-associados/não cotistas)
4o. Domingo do mês impar - Zazenkai de Um Dia (com início no Mini-Zazenkai de sábado com pernoite) - aberto a todos, doação sugerida: R$ 5,00 (não-associados/não cotistas, para a parte de Domingo)/ R$ 30 (associados/cotistas para a parte de Domingo)

Atividades periodicas:
CozinhaZen - Almoço Beneficiente - o próximo será no dia 25 de março

Lembro a todos que a participação nas atividades pode ser integral ou parcial, pois os praticantes podem chegar e sair livremente, de acordo com as suas necessidades.

Twitter Digg Facebook Delicious Reddit StumbleUpon DZone Google LinkedIn MisterWong MySpace Netvouz NewsVine Slashdot Technorati YahooMyWeb BlinkList Design Float Webnews.de

http://monjaisshin.wordpress.com/
http://aguasdacompaixao.wordpress.com/
http://zendovirtual.wordpress.com/
http://interconexao.wordpress.com/
=====================================================
A paz começa com cada um de nós - aqui, agora.
Peace begins with each of us - right here, right now.
====================================================
Copyright © 2012 Comunidade Soto Zendo Sul - Jisui Zendô - Sanga Águas da Compaixão, All rights reserved.
Você recebe esta mensagem porque é membro ou amigo da Sanga Águas da Compaixão
Our mailing address is:
Comunidade Soto Zendo Sul - Jisui Zendô - Sanga Águas da Compaixão
R. Eliziário Goulart da Silva 93
Porto Alegre, RS 91040-430

Add us to your address book
Email Marketing Powered by MailChimp

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Textos para Reflexão

Para ser um médium, parte 3:

"Magia é a arte – a arte original –, a ciência de se manipular símbolos, palavras ou imagens para se alcançar estados alterados de consciência.
Alan Moore

'via Blog this'

Zazen no Centro da Cidade

Zazen no Centro da Cidade | zafu.blog.br:

"Membros da Sanga Águas da Compaixão acompanharam a Monja Isshin até a Esquina Democrática no centro de Porto Alegre para uma entrevista com a Regina Lima (produção Leonardo Caldas Vargas) sobre a possibilidade de meditar no meio do movimento agitado de uma cidade. Foi uma experiência rica e divertida."

'via Blog this'

Slow Food no Fórum Social Temático em Porto Alegre



Posted: 25 Jan 2012 10:45 AM PST

O Fórum Social Temático (http://www.fstematico2012.org.br/) está acontecendo em Porto Alegre/RS como parte integrante do Fórum Social Mundial. 

Nesta quinta-feira, dia 26/1/2012, acontecerá a conferência "O Slow Food Internacional e o desenvolvimento limpo e justo" , às 9 horas da manhã na Faculdade de Educação da UFRGS (sala 606). 

O Fórum Social Temático tem como eixo principal a Crise Capitalista, Justiça Social e Ambiental e visto que o encontro faz parte das atividades preparatórias para a Cúpula dos Povos na Rio+20. 


Sentimos muito por fazer esta comunicação assim, de última hora, mas também fomos pegas de surpresa e não gostaríamos que aqueles que estão na região perdessem esta oportunidade. Esperamos que muitos consigam participar.


 

O zen e as palavras

O Pico da Montanha é onde estão os meus pés.:

"Como você está vivendo, como está sua mente agora, essa é a verdade. "

'via Blog this'

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

O Zen e o gato


Um grande professor do Darma, já velho percebeu um pequeno gato no seu caminho para o Zazen. O felino parecia cansado e fraco e não parecia ter “parentes” próximos... O Professor lhe pegou no colo e cobriu com seu casaco e lhe carregou até o Zendô. Lá ele lhe serviu leite em um pote e deixou o gatinho deitado sobre uma almofada. Sentou-se em zazen e pôs-se a meditar. No dia seguinte o gatinho já estava esperando o professor na sala de prática e quando o professor sentou-se em Zazen o gatinho começou a miar. 




Um de seus alunos ia afugentar o pequeno gato mas o professor não permitiu. Novamente pegou leite e um pote e deixou do lado de fora do Zendô junto a porta. O gato bebeu o leite e deitou na almofada olhando para tudo com preguiça.


Isto se repetiu por uns dias até que um aluno, quando via o mestre na subida para o Zendô já trazia uma almofada em um pote com leite para o “gato do professor”.


Os dias passaram e o mestre zen se tornou responsável pelo mosteiro de Mayu Kagi. Lá manteve-se a rotina, durante as aula de meditação, mantinha o gato ao seu lado - para desfrutar o mais possível de sua companhia.


Certa manhã, o mestre - que já estava bastante velho – foi encontrado morto. O discípulo mais graduado ocupou seu lugar.


- O que vamos fazer com o gato? - perguntaram os outros monges.


Numa homenagem à lembrança de seu antigo instrutor, o novo mestre decidiu permitir que o gato continuasse freqüentando as aulas de zen-budismo.


Alguns discípulos de mosteiros vizinhos, que viajavam muito pela região, descobriram que, num dos mais afamados templos do local, um gato participava das meditações. A história começou a correr.


Muitos anos se passaram. O gato morreu, mas os alunos do mosteiro estavam tão acostumados com a sua presença, que arranjaram outro gato. Enquanto isso, os outros templos começaram a introduzir gatos em suas meditações: acreditavam que o gato era o verdadeiro responsável pela fama e a qualidade do ensino de Mayu Kagi e esqueciam-se que o antigo mestre era um excelente instrutor.


Uma geração se passou e começaram a surgir tratados técnicos sobre a importância do gato na meditação zen. Um professor universitário desenvolveu uma tese - aceita pela comunidade acadêmica - que o felino tinha capacidade de aumentar a concentração humana e eliminar as energias negativas.


E assim, durante um século, o gato foi considerado como parte essencial no estudo do zen-budismo naquela região.


Até que apareceu um mestre que tinha alergia a pelos de animais domésticos e resolveu tirar o gato de suas práticas diárias com os alunos.

Houve uma grande reação negativa - mas o mestre insistiu. Como era um excelente instrutor, os alunos continuavam com o mesmo rendimento, apesar da ausência do gato.


Pouco a pouco, os mosteiros - sempre em busca de idéias novas, e já cansados de ter que alimentar tantos gatos - foram eliminando os animais das aulas.


Em vinte anos, começaram a surgir novas teses revolucionárias - com títulos convincentes como "A importância da meditação sem o gato", ou "Equilibrando o universo zen apenas pelo poder da mente, sem a ajuda de animais".



Na minha versão a moral é que a prática se dá NA PRÁTICA. Com ou sem gatos. Com ou sem retóricas a defender.





Versão do Paulo Coelho: http://warriorofthelight.com/port/edi13_import.shtml